segunda-feira, 23 de junho de 2014

"Falling" - Cap. 41 (Penúltimo)



Justin estava longe, a cada dia nos afastávamos mais. Ele precisava ir à cidade todos os dias para prestar serviços comunitários por ter sido acusado de ocultar um crime. Além disso, Justin estava em recuperação em todas as matérias da escola e tinha que treinar todos os dias para a semifinal do campeonato, o time estava irreconhecível ninguém conseguia jogar bem, as coisas não estavam nada bem.
- Justin. – Esbarrei com ele no corredor da escola, era uma das únicas formas de nos falarmos direito.
- Oi. – Ele tinha um sorriso cansado no rosto e suas olheiras eram imensas. Abracei-o como se estivesse o consolando.
- Como estão indo as provas? – Perguntei me afastando, Justin olhou para a palma da mão que estava repleta de palavras.
- Bem. – Ele sorriu sarcástico e abaixou a cabeça, aquilo doeu em mim.
- Justin... – Eu ia lamentar, mas ele começou a balançar a cabeça.
- Eu preciso treinar. – Ele olhava os pés. – Até mais. – Justin beijou minha testa e me deixou ali, soltei um suspiro de decepção. O que está acontecendo com nós dois?
Caminhava para a biblioteca quando me entregaram um convite para uma festa hoje à noite, analisei o convite e decidi que eu iria à festa, mesmo não conhecendo o dono. Mudei o caminho que eu seguia e fui até o treino do time, sentei na arquibancada, Justin estava ditando as jogadas para os outros jogadores, ele parecia determinado, mas estava sendo grosso quando eles erravam, revirei os olhos e levantei, Justin me olhou e seus olhos me seguiram até eu sair dali. Justin estava muito estressado e isso estava me irritando.

Combinei com Brandon e Eve de irmos juntos à festa, coloquei um vestido, uma sapatilha e um arquinho no pouco cabelo que eu tinha, estava crescendo, mas na verdade eu gostava dele assim.
- Mãe, estou indo. – Disse terminando de passar o gloss nos lábios.
- Justin chegou? – Ela saiu da cozinha segurando uma camisa dele.
- Não, eu não vou com ele. – Olhei para a camisa  que tinha algumas remendas.
- Vocês... – Ela franziu a testa.
- Não. – Disse um pouco desconfortável, eu tenho muito medo de que isso aconteça algum dia.
- Filha, eu não os vejo mais juntos, Justin nunca mais veio aqui. – Minha mãe parecia muito preocupada agora.
- Ele está muito ocupado. – Foi a única coisa que eu disse, me aproximei da porta e sai após acenar.

A festa foi legal, eu dancei muito, fazia tanto tempo que eu não me divertia. Houveram alguns desafios com bebidas e eu arrisquei beber um copo de alguma bebida que eu não fazia ideia do que era, minha garganta pegou fogo enquanto o liquido descia. Notei que grande parte do time estava ali e procurei por Justin, perguntei para um de seus amigos e ele disse que Justin não quis ir a festa porque iria ficar um tempo comigo, meu coração parou e eu senti uma culpa enorme. Avisei Eve que eu estava indo embora e sai apressada. Eu quase corria te minha casa, minha mãe estava dormindo no sofá da sala, entrei em silencio e fui até meu quarto na ponta dos pés. Eu devia ter avisado, chamado Justin para a festa, qualquer coisa, menos ir sem nem falar com ele.
Entrei no meu quarto e me assustei ao ver Justin sentado em minha cama, lendo um livro de química, ele olhou para mim com um olhar decepcionado. Aproximei-me e sentei ao seu lado.
- Me desculpe. – Disse baixo.
- Se divertiu? – Justin perguntou e eu não consegui distinguir se ele estava bravo, decepcionado, triste, ele não expressou nada em sua voz.
- Eu ia falar com você, mas eu te vi todo irritado lá na quadra... – Não respondi a pergunta.
- Eu pensei que você estivesse preocupada comigo, Elizabeth. – O jeito como ele disse meu nome doeu.
- Eu estou, e-e-eu... – Não porque gaguejei.
- Não quero saber. – Justin levantou. – Eu comprei donuts e refrigerante para ficarmos vendo filme a noite toda, mas acho que você pode se divertir sozinha.
- Você está sendo injusto. – Levantei e não o deixei ir embora.
- Eu venho passar o único tempo que tenho com minha namorada e ela vai para uma festa sem nem me convidar, eu sou injusto? – Ele não olhava em meus olhos.
- Você tem se afastado de mim todos esses dias, Justin nós mal nos falamos.
- Desculpe se eu tenho que estudar para milhares de provas e ainda pagar serviços comunitários, me desculpe Elizabeth. – Ele disse irônico.
- Ah qual é. – Disse ficando sem paciência. – Você nem se quer olhou nos meus olhos hoje cedo, você está colocando o peso todo sobre seus ombros e não quer deixar ninguém ajudar.
- Pense como quiser. – Ele me tirou do seu caminho e foi até a porta.
- VOCÊ VAI MESMO SAIR ASSIM? – Gritei nervosa, ele continuou andando. – JUSTIN! – Eu pareci uma garotinha mimada gritando.
- Amanhã eu tenho que sair cedinho para a cidade, preciso dormir. – Ele falou de costas com a voz mais calma, eu não falei mais nada, o deixei ir.
- DROGA. – Chutei o pé da minha cama e mordi os lábios para não gritar de dor, sentei no chão com as costas encostadas em minha cama e deixei as lágrimas caírem.

[...]
Sai de casa e vi Justin entrando em um táxi, fiquei parada olhando o carro se movimentar até encontrar um par de olhos me olhando, Justin abaixou a cabeça e olhou para o outro lado. Eu não acredito que ele está fazendo isso. Rangi os dentes com raiva e caminhei para a escola batendo os pés, eu estava com tanta raiva que mal me reconhecia. Não falei com ninguém, continuei andando até a sala e me joguei na última mesa, abaixei a cabeça e deitei sobre meus braços cruzados. Eu tentei não chorar, mas era mais forte que eu.
- Liza. – Isaac colocou a mão em meus cabelos e começou a afagar, não levantei o rosto, comecei a soluçar junto com as lágrimas e ele logo sentou ao meu lado e me abraçou. – Ei, olha pra mim. – Levantei o rosto e a expressão dele era de dó, ele não falou nada só continuou me abraçando. O professor entrou na sala e nos olhou, tentei parar de chorar, mas meu rosto estava todo vermelho. – Vem. – Isaac pegou minha mão e me tirou da sala. – O que ele fez?
- Nós brigamos. – Abaixei o rosto, Isaac colocou a mão em meu rosto e me olhar em seus olhos.
- Então ele é um babaca por te fazer chorar. – Isaac começou a se aproximar.
- Não. – Soltei-me e o empurrei.
- Desculpe. – Ele continuou afastado. – Eu não consigo te esquecer, eu nunca quis terminar com você Liza.
- Isaac. – Meus olhos voltaram a marejar.
- Desculpa, desculpa, desculpa. – Ele colocou as mãos na cabeça, eu não podia fazer nada, eu não ia beijá-lo e lamentar.
- Obrigada por tentar ajudar. – Disse antes de sair dali e deixá-lo cabisbaixo.

Depois da aula, eu fui caminhando para a sorveteria, até uma caminhonete parar na minha frente, Justin saiu dela e agradeceu o motorista, que logo foi embora. Justin colocou as mãos no bolso e me olhou com um sorriso fraco, ele estava com o rosto repleto de hematomas e tinha alguns cortes nos braços descoberto, senti um aperto no coração ao olhá-lo todo machucado.
- O que aconteceu? – Perguntei enxugando meu rosto inchado.
- Eu preciso me desculpar. – Ele olhou os pés deu alguns passos em minha direção.
- Justin bateram em você. – Toquei seu rosto.
- Eu te fiz chorar, talvez eu mereça isso. – Ele não estava sem importando com todos aqueles machucados e marcas.
- Não. – Disse imaginando sua dor. – O que aconteceu?
- Eu fui limpar um presídio na cidade e os caras lá acharam que eu tinha cara de playboy e resolveram me bater. – Ele disse com tanto tranquilidade que me assustou.
- Não está doendo? – Perguntei com agonia de olhá-lo daquele jeito.
- Não, Liz, eu estou bem. – Ele deu mais um passo e colocou a mão na barriga sentindo alguma dor. – Alguns socos. – Ele brincou fingindo estar bem. – Está doendo saber que eu te machuquei. – Eu não falei mais nada, porque ele realmente me magoou. – Você não tem ideia de como tudo isso está me deixando maluco.
- Eu sempre vou estar aqui para te ajudar. – Disse e Justin sorriu.
- Eu sei Elizabeth, você é um anjo. – Ele entrelaçou nossos dedos. – Me desculpe por ontem e por não ter te dado atenção esses dias, desculpe.
- Ah. – Soltei um suspiro de alívio. – Eu fiquei com tanto medo de te perder. – Abracei-o o mais forte que consegui.
- Nunca, nunca. – Justin segurou meu rosto e selou nossos lábios, ele abraçou minha cintura e eu envolvi seu pescoço. Justin tremeu quando ele me puxou para seu corpo. – Ainda dói um pouco. – Ele disse sem graça partindo o beijo.
- Não podiam ter feito isso com você. – Abracei-o com pena.
- Eu vou até a prefeitura, ajudar por lá. Podemos ver filmes hoje à noite?
- Claro, meu amor. – Sorri e beijei sua bochecha. – Vou estar te esperando.
- Até mais tarde. – Justin segurou meu rosto, ele parecia limpar alguma coisa, talvez o rímel borrado. Justin se despediu com um beijo e foi caminhando no sentido da prefeitura.

[...]
Justin veio até minha casa, ele ainda estava cheio de hematomas, mas agora sua roupa estava linda e ele tinha cheiro de flores. Pulei em seus braços quando ele abriu a porta do eu quarto, Justin me segurou com um braço e me tirou do chão, girando nossos corpos. Quando ele me colocou no chão, eu o beijei e Justin riu com os lábios grudados aos meus.
- Eu vou derrubar os lanches. – Justin tinha alguns sacolas na outra mão, soltei-o rindo.
- Desculpa. – Minhas bochechas coraram, Justin deixou as sacolas em cima da cama e puxou minha cintura de novo.
- Desculpa por me beijar? – Ele franziu a testa e juntos nossos lábios outra vez, nos beijamos como se não nos víssemos há anos. Justin acariciava meu braço e eu segurava seu cabelo enquanto nossos lábios se sincronizavam. Dei alguns passos para trás e senti minhas costas se chocarem com a parede, Justin sorriu malicioso e beijou meu pescoço, fechei os olhos e senti seus lábios molhados seguirem do meu pescoço até meus lábios.
- ADIVINHEM QUEM VEIO VISITAR O CASAL MAGIA? – Ouvi a voz da Eve e empurrei Justin, ele caiu na minha cama e começou a rir, ela entrou no meu quarto segurando a mão do Bran. – O que estavam fazendo? – Eve arqueou uma sobrancelha ao ver Justin rindo na cama e eu assustada encostada a parede, olhei Justin e gargalhei junto com ele.
- Justin nos chamou. – Brandon disse confuso, olhei Justin e ele fez um sinal positivo com a mão.
- Eu não sabia que nós... – Justin não aguentou e começou a rir de novo, joguei uma almofada nele.
- Nós o que? – Eve parecia confusa.
- Justin é bobo, ignorem. – Disse sem graça.
- Se resolveram então. – Brandon deduziu e Justin assentiu com um sorriso malicioso.
- PARA. – Gritei tentando parecer brava, mas eu também ria.
- Qual filme? – Justin perguntou parando de rir.
- TERROR. – Eve gritou tão empolgada que eu não iria discordar, por mais que não quisesse. Ela colocou o filme na televisão do meu quarto. Os garotos arrastaram minha cama para o canto e nós sentamos no chão em cima dos puffs e almofadas.
- Vai fechar os olhos, amor? – Justin entrelaçou nossos dedos, olhei-o e fechei os olhos, sorri quando ele selou nossos lábios. – Eu estou aqui. – Ele sabe que eu não gosto de filme de terror.
- Para sempre? – Perguntei olhando nos olhos dele.
- Por toda a eternidade. – Ele sorriu e eu o abracei forte.
Continua...

Vocês irão querer me matar no último capítulo.

Ana Luíza Silva dos Santos obrigada por ter esperado <3

Comentem!

6 comentários:

  1. Porque você não faz um teste pra uma leitora escrever no seu lugar,vc nao pode abandonar as suas leitoras,eu mesmo participarei do teste de vc fizer...tenho um blog mais nao e famoso

    ResponderExcluir
  2. E vou continuar esperando pq ta mt linda a sua ib continuaaaa pff

    ResponderExcluir
  3. Que fazer um teste o que! Se outra pessoa escrever, não será a mesma coisa! Espero o tempo que for necessário -mesmo que isso custe as unhas que eu já não tenho- para que VOCÊ termine a fic! U.U
    Perfeito! Quero o último capítulo logo! Obrigado, de nada! U.U

    ResponderExcluir