quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

"Falling" - Cap. 34




Justin ficou na escola depois das aulas, ele disse que precisava conversar com alguns professores sobre a nota dele, então eu fui para casa sozinha. Eu odeio andar sozinha por essa cidade, as pessoas ficam me encarando imaginando que eu devo estar quase morrendo, que minha falta de cabelo é um câncer maligno e que eu tenho alguns meses de vida. Eu penso todos os dias em usar uma peruca, mas ficaria falso e eu odeio falsidade, eu não quero ser quem eu não sou, por mais que me incomodem os olhares curiosos.

Cheguei em casa e fiquei conversando com minha mãe no telefone, nós não estamos nos vendo muito esses dias, ela esta trabalhando duro para tentar conseguir uma promoção. O chefe dela é muito legal, até me mandou chocolates outro dias. Estou muito feliz por ver minha mãe voltando a ser a mulher admirável que ela era antes do divórcio.

Depois de falar com minha mãe, liguei para o meu pai, ele também está trabalhando muito para cobrir todos os gastos dos meus tratamentos. Contei a ele que vou procurar um emprego e ele tentou ficou um pouco incomodado com isso, mas eu vou de qualquer jeito. Ele me disse que tem discutido muito com a mãe do Mitch e que está até dormindo no escritório. Era a minha chance de dizer para ele voltar para casa, eu sei que minha mãe ainda o ama e que ele não sabe o motivo de ter se divorciado dela, foi algo impensado.

“Pai, você será recebi de braços abertos se quiser voltar para os Estados Unidos.” – Disse tentando não ser tão indiscreta.

“Obrigado filha, fico feliz em saber que ainda tenho você.”

“E o Mitch, ele está bem?”

“Sim, ele estava saindo com uma garota muito simpática.”

“Ele me disse que ia pedir ela em namoro” – Contei animada.

“Isso eu não sei, mas ele parece estar mesmo gostando dela”

“Fico feliz por ele. Pai, agora eu preciso me arrumar, Justin vai me levar para jantar.” – Disse animada.

“Eu sei, ele me disse... Ops.” – Acho que ele não devia ter contado.

“Por que ele te disse que vai me levar para jantar?” – Perguntei confusa e ele ficou mudo por um tempo.

“Porque ele é um bom genro...” – Meu pai disse rindo. – “Tenha um bom jantar querida, nos falamos depois”.

“Tchau pai.” – Desliguei o telefone, ainda desconfiada. Abri o armário e fiquei encarando minhas roupas, são todas comuns e nenhuma estava me agradando, joguei-as em cima da cama e vesti cada uma das roupas. Peguei um vestido azul que estava no fundo no armário e coloquei, ele ficou incrivelmente lindo e eu nem lembrava que tinha. Demorei alguns minutos para colocar tudo no lugar e mais alguns para me arrumar, quando estava pronta, olhei no relógio que marcava sete horas, respirei aliviada e sai do quarto. Minha mãe chegaria em alguns instantes e poderíamos ficar conversando até o Justin chegar.



A campainha tocou e minha mãe sorriu, eu não sei o que é, mas meus pais sabem o motivo desse jantar tão inesperado. Levantei e mamãe me abraçou, ela sussurrou um “Tenha um bom jantar” e eu fui até a porta. Justin estava muito elegante, ele usava uma calça jeans, camisa e blazer. O cabelo estava alinhado e completamente arrumado, ele tinha um sorriso tímido no rosto e segurava um buque de crisântemo.

- Você está linda, meu amor. – Justin segurou minha cintura e beijou minha testa, ele me entregou o buque e sorriu.

- Seu cabelo. – Disse rindo. – Está impecável.

- Minha mãe me ajudou. – Ele disse e suas bochechas coraram.

- Está parecendo um príncipe. – Olhei em seus olhos e sorri.

- Então, a Senhorita me acompanharia até nossa carruagem? – Justin estendeu a mão e riu, era o carro do Brandon, Justin provavelmente pediu emprestado já que vendeu o dele para salvar minha vida.

- Será uma honra. – Segurei sua mão e nós fomos até o carro, Justin abriu a porta para mim e depois correr para o outro lado, fiquei olhando a janela e vi que ele tropeçou, depois levantou me olhou com vergonha, segurei o riso. – Posso saber o motivo deste jantar?

- NÃO. – Ele gritou por impulso. – É surpresa amor. – Disse fazendo cara de cachorro sem dono.

- Tudo bem. – Virei para frente e fiquei observando os carros da frente. Não perguntei mais nada, mas eu estava muito confusa e curiosa. Justin me levou em um restaurante novo e eu me senti muito simples ao ver a estrutura do lugar. Encarei meu reflexo no espelho que havia na entrada e encolhi os ombros. Senti os dedos do Justin se entrelaçando aos meus e olhei-o, ele sorria tão docilmente, que foi inevitável virar e beijá-lo. Justin segurou minha cintura e olhou profundamente em meus olhos e mexeu os lábios dizendo “Você é linda”. Eu só conseguia sorrir, meus olhos marejaram um pouco, mas eu tentei disfarçar, Justin segurou minha mão e me conduziu até a mesa que ele reservou, ele puxou minha cadeira para eu sentar e depois sentou ao meu lado. Nós conversamos, rimos, jantamos e rimos mais. Justin consegue me fazer rir com poucas palavras, ele me faz bem com um simples sorriso.

- Amor, eu escrevi isso para você. – Justin me entregou um envelope, olhei-o confusa e peguei o envelope. Abri e tinha uma carta ali dentro, estava escrita à mão e tinha vários corações em volta. Olhei Justin e ele ria.

“Elizabeth,

Eu nem sei como começar a escrever isso. Na verdade, eu sei, mas se for escrever tudo o que eu sinto, daria uma saga de livros, então tentarei ser breve nesta carta. Bom, eu sei que te ignorava antes de te conhecer, eu sei que começamos essa história da pior forma possível, mas eu acho que quando duas pessoas que se odeiam mortalmente conseguem transformar o ódio em amor, amor de verdade, nada mais é impossível para elas. Eu te odiava, você me odiava. Eu te amo, eu espero que você me ame também. Você faz eu me sentir uma pessoa melhor, um homem melhor. Só Deus sabe o quanto doeu ver você sofrendo naquele hospital, só Ele sabe o quanto eu chorei por ter descoberto que você é a mulher da minha vida só quando você estava longe. Enfim, eu não acho que essa folha será suficiente para guardar tantos sentimentos assim, mas eu tenho certeza de que ela pode me ajudar a te fazer um pedido.”

Eu estava chorando feito uma menininha que acabou de perder um doce, li as letras grifadas no canto da folha, que me instruíam a virar a folha, ali estava tudo completamente branco. Olhei Justin e ele me entregou um lápis, entendi o que eu deveria fazer. Passei a ponta do lápis levemente por cima daquele pedaço branco de papel e ele foi desvendando letras que não eram visíveis antes. Passei o lápis por toda a folha e levantei-a para ler. “CASA COMIGO?”. Levantei a cabeça e dei de cara com uma caixinha com alianças, Justin estava com um sorriso inseguro no rosto. Eu não consegui fazer mais nada, a não ser chorar, eu chorei e chorei muito. Justin se aproximou e me abraçou, controlei as lágrimas para tentar responder.

- Me desculpe. – Justin sussurrou confuso.

- Eu aceito. – Disse entre as lágrimas, Justin me olhou surpreso e abriu um sorriso imenso, foi quando eu o beijei e nós quase caímos da cadeira.
Continua...




Mel foi mais ou menos, mas eu ainda não sei o resultado :/

Gente minha irmã mudou a senha do email dela e eu não tava conseguindo entrar aqui, que susto. Desculpem essa demora. 

Comentem!

6 comentários:

  1. aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaahhhhhhhhhhhhhh tem um rosto na minha lágrimaaaa!!!!!
    que perfeito, socorrooo!!!! ~ui, pera. Pausa para secar as lágrimas...~
    pronto... meeu, lindo demais! queria que meus pais fossem assim com o meu namorado.. elogiando e tal.. mas eles só criticam e mal deixam eu sair com ele :c
    enfim, continua logo! to amandooo! e desculpa nao comentar no outro capitulo.. já li tudo!!

    ResponderExcluir
  2. MEU DEUS !!! Cara , PERFEITO!
    Tá lindo
    Cooooooooooooooooooooooooooooooooooontinuaaaaaaaaaaaaaaa

    ResponderExcluir
  3. Aaaaaaaaaaaaah mano que fofo *-*
    Vou morrer *----* eles são tão awwwwn
    To torcendo por você lindinha.
    Bjos continua
    Ass: Mel

    ResponderExcluir
  4. OMG! QUE PERFEITOOOO! Meu Deus, amei, está incrível!
    Eles tinham que ter caído! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Amei,continua logo please! *-*

    ResponderExcluir